Palmares (PE)

Nas lavouras de cana-de-açúcar da região Nordeste, a colheita mecanizada é dificultada por conta do relevo montanhoso. Por isso, ainda predominam os cortadores manuais. Em 2013, a Justiça Federal condenou o responsável pelo Engenho do Poço, no município de Palmares (PE), a 13 anos e seis meses de reclusão por submeter 62 cortadores de cana a condição análoga à de escravo – dois deles eram adolescentes. Durante o trabalho, eles não contavam com equipamentos de proteção, não recebiam alimentação adequada e sequer tinham acesso a água potável. Também não foram orientados sobre como manipular os agrotóxicos. A maioria não tinha carteira de trabalho assinada e recebia menos do que um salário mínimo por mês. Além disso, as moradias disponibilizadas no engenho não tinham instalações sanitárias e corriam risco de desabamento.